segunda-feira, 24 de julho de 2017

Seja presidente, Daniel!


Eu não sei nem como definir a situação do Atlético. Queria poder apontar todos os erros administrativos e de planejamento com clareza, mas não os tenho. Não vivo o dia a dia interno do clube, tampouco sou especialista em gestão do futebol. Mas que muitos erros foram e estão sendo cometidos está cada vez mais claro.

Conseguiram transformar aquele que há pouco tempo foi o melhor mandante do mundo (nos dados, não na mística apenas) em um mandante irrisório, capaz de ter mais jogos (9) do que pontos (8) dentro de casa após 16 rodadas do Campeonato Brasileiro.

Eu só sei que as alternativas usadas nos últimos tempos já se mostraram muito equivocadas. Desde 2014, quando conquistamos nosso último titulo de verdade, foi só contratação sem critério e demissão de treinador. Elencos montados de maneira desequilibrada. Transferência de culpa e repasse de responsabilidade é o que temos visto.

No meu último texto aqui falei que era preciso dividir a culpa no Galo (relembre). Roger fez trabalho decepcionante, mas achar que a saída dele vai resolver tudo e colocar o Galo nos eixos é ingenuidade de quem é movido pela paixão por essas cores ou sacanagem de quem quer se eximir de sua parcela nessa vergonha que tem protagonizado.

Só não venham colocar a culpa na massa, pelo amor de Deus. Mudança de perfil, falta de apoio, cobrança exagerada, torcedor consumidor e mal acostumado. Entendo perfeitamente todos que enxergam esse cenário no comportamento do torcedor, mas ele tem ido, participado e comparecido em número interessante pelo cenário do time e econômico do país.

E não culpem o estádio. Ele não joga bola. Ele é só palco pra nos mostrar um desfile de craques, raça e competência como outrora ou evidenciar a incompetência atual.

Falta comando no Atlético. De cima a baixo.

E comando não é o presidente aparecer pra "dar murro na mesa", nem dar coletiva pós derrota pra mandar técnico embora. Muito menos pra mexer no futebol. Deixa a questão bola com quem entende, Daniel.

Comandar é comandar. É fazer a sua parte bem feita, delegar gente competente pra cuidar de áreas específicas e fazer a máquina girar. Aí sim é possível cobrar firme e efetivamente.

Eu não sei o que fizeram pra levar o clube pro estágio atual. Seja o que for, o tempo está se esgotando pra reverter o cenário a tempo de algo relevante na temporada.

Só que é preciso seguir a linha Kalil e dar comando pra quem sabe o que fazer.

Seja presidente, Daniel!

Divida, compartilhe, se cerque de gente boa, competente e que vai lhe ajudar, como você mesmo fez com Kalil anteontem.

É o que a massa espera de você.

Entramos na fase mais decisiva da temporada. Ou as coisas mudam agora ou já vamos virar o calendário pra 2018.

Vamos, Galo!

Twitter@allanpassus


Um Coração Preto & Branco #17- E lá vamos nós!

ERROU,ERROU!
Ou estamos mau acostumados ou realmente nos tornamos perfeitos idiotas, por que não é possível que um Clube como o ATLÉTICO MINEIRO possa fazer um Brasileirão de maneira tão pífia. 
Um Clube que tem em seu elenco nomes como ROBINHO, FRED , OTERO , CAZARES , ELIAS e companhia consiga perder pra times como Bahia , Vasco , Atlético PR entre outros. 
Um alto investimento, contratações animadoras e no meio do caminho sofremos com o problema de sempre LESÕES , refazer um planejamento de uma hora pra outra pois tememos com a falta de resultados tenhamos que trocar de treinador .
O que vejo e o que me incomoda é o fácil acesso de torcedores a  informações de dentro do clube (crie uma conta no twitter e verá informações espalhadas em perfis diferentes com uma fonte segura ) , não temos um diretor de futebol há tempos (saudades do finado MALUF ) , e um presidente que consiga por autoridade ,não tem essa de jogadores estrelinhas mandar no time não.
Se é pago tem que jogar e fazer o seu melhor pelo resultado.


As vezes estou em casa sozinha e olho para minha parede e está o banner do time de 2013 da tão amada e inesquecível LIBERTADORES 2013  com Ronaldinho Gaúcho , Tardelli, Bernard , Pierre, Donizetti , josué , alecsandro , Jo , Réver , Guilherme entre outros não era o melhor time do mundo e nem o mais caro mas concerteza tinha raça pra vencer e jogava por nós. 
Sempre dizem pra gente seguir em frente e não olhar pra trás , mas tá difícil com esse time de 2017. 
Vencer o Atlético se tornou baile de favela , quer dizer nem sei se posso dizer que o GALO é time de favelado uma vez que seu ex-presidente diz que " Futebol não é coisa de pobre" ! 

sábado, 22 de julho de 2017

Comparativo de desempenho dos últimos treinadores do Galo após Cuca


   Com a saída de Roger Machado após mais uma derrota jogando em casa, o presidente Daniel Nepomuceno foi atrás de um novo treinador, Rogério Micale. O novo treinador terá muito trabalho pela frente para colocar o time do Galo nos eixos, em meio a várias decisões de Copa Libertadores, Copa do Brasil, Primeira Liga e tentar colocar o Atlético entre os 6 primeiros colocados no Campeonato Brasileiro, para caso aconteça a tragédia de ser eliminado da Libertadores e Copa do Brasil (competições que dão vaga direta para Libertadores 2018 ao campeão), e conquistar uma vaga na competição continental.

   A saída de Roger Machado gerou muito zum zum zum nas redes sociais, uma parte da torcida apoiava sua saída, outra parte queria que o treinador continuasse seu trabalho, pois dizem que para o trabalhar dar resultado (título de campeão), tem que ter sequência.

    A verdade é que o Atlético não vem apresentando bom futebol jogando em casa pelo Campeonato Brasileiro, oque deixou a torcida impaciente, e isso inclui o presidente do clube, que após mais uma derrota jogando em casa e para um time considerado um dos candidatos ao rebaixamento em 2017, preferiu demitir o treinador.

   Muita gente achou injusta a saída do Roger Machado, assim como muita gente também achou injusta a saída do Marcelo Oliveira no final da temporada 2016, e também muita gente até hoje não aceitou a saída de Levir Culpi em 2015. Os únicos treinadores que tiveram rejeição máxima foram Paulo Autuori em 2014 e Diego Aguirre em 2016.

   Desde a saída do Cuca em 2013 (por opção dele), o Atlético não conseguiu se firmar com um treinador (apesar do Levir Culpi ter ficado quase 2 anos no comando técnico). Aí que vem uma pergunta: Será que está faltando paciência da torcida com os treinadores? Será que o presidente está sem saber oque fazer quando a torcida começa a vaiar o time, o treinador e até ele mesmo, e então a única saída e mudar o treinador?

   Eu veio por meio post buscar a campanha de cada um dos treinadores após a era Cuca e fazer um comparativo geral e competição por competição. Será que foi justa demissão de todos esses treinadores ?

Vamos aos dados gerais por ano: 

ROGER MACHADO (2017) - 43 jogos / 23 vitórias / 9 empates / 11 derrotas / 74 gols feitos / 41 gols sofridos
Campeonato Mineiro   - 15 jogos / 11 vitórias / 2 empates /  2 derrotas / 32 gols feitos / 11 gols sofridos (CAMPEÃO)
Primeira Liga        -  3 jogos /  1 vitória  / 1 empate  /  1 derrota  /  4 gols feitos /  3 gols sofridos (em andamento) Quartas
Copa Libertadores    -  7 jogos /  4 vitórias / 1 empate  /  2 derrotas / 17 gols feitos /  7 gols sofridos (em andamento) Oitavas
Copa do Brasil       -  3 jogos /  2 vitórias / 0 empates /  1 derrota  /  5 gols feitos /  3 gols sofridos (em andamento) Quartas
Camp. Brasileiro     - 15 jogos /  5 vitórias / 5 empates /  5 derrotas / 16 gols feitos / 17 gols sofridos (em andamento) 11º lugar

MARCELO OLIVEIRA (2016) - 43 jogos / 19 vitórias / 14 empates / 10 derrotas / 69 gols feitos / 58 gols sofridos
Copa do Brasil          -  7 jogos /  2 vitórias /  3 empates /  2 derrotas /  9 gols feitos / 10 gols sofridos (Vice-Campeão)
Camp. Brasileiro        - 36 jogos / 17 vitórias / 11 empates /  8 derrotas / 60 gols feitos / 48 gols sofridos (4º lugar)

DIEGO AGUIRRE (2016) - 30 jogos / 15 vitórias / 7 empates / 8 derrotas / 52 gols feitos / 28 gols sofridos 
Florida Cup          -  2 jogos /  2 vitórias / 0 empates / 0 derrotas /  3 gols feitos /  0 gols sofridos (CAMPEÃO)
Primeira Liga        -  3 jogos /  0 vitórias / 1 empate  / 2 derrotas /  2 gols feitos /  5 gols sofridos (eliminado fase de grupos)
Campeonato Mineiro   - 15 jogos /  7 vitórias / 4 empates / 4 derrotas / 31 gols feitos / 16 gols sofridos (Vice-Campeão)
Copa Libertadores    - 10 jogos /  6 vitórias / 2 empates / 2 derrotas / 16 gols feitos /  7 gols sofridos (eliminado pelo São Paulo)  

LEVIR CULPI (2015) - 62 jogos / 33 vitórias / 11 empates / 18 derrotas / 106 gols feitos / 68 gols sofridos
Jogo Amistoso      -  1 jogo  /  1 vitória  /  0 empates /  0 derrotas /   4 gols feitos /  2 gols sofridos
Campeonato Mineiro - 15 jogos /  9 vitórias /  3 empates /  3 derrotas /  25 gols feitos / 10 gols sofridos (CAMPEÃO)
Copa Libertadores  -  8 jogos /  3 vitórias /  1 empate  /  4 derrotas /   8 gols feitos /  9 gols sofridos (eliminado pelo Internacional)
Copa do Brasil     -  2 jogos /  0 vitórias /  1 empate  /  1 derrota  /   2 gols feitos /  3 gols sofridos (eliminado pelo Figueirense)
Camp. Brasileiro   - 36 jogos / 20 vitórias /  6 empates / 10 derrotas /  67 gols feitos / 29 gols sofridos (Vice-Campeão)

LEVIR CULPI (2014)  - 51 jogos / 28 vitórias / 12 empates / 12 derrotas / 83 gols feitos / 54 gols sofridos
Jogos Amistosos     -  3 jogos /  3 vitórias /  0 empates /  0 derrotas / 12 gols feitos /  6 gols sofridos
Copa Libertadores   -  1 jogo  /  0 vitórias /  1 empate  /  0 derrotas /  1 gols feito  /  1 gols sofridos
Copa do Brasil      -  8 jogos /  6 vitórias /  0 empates /  2 derrotas / 14 gols feitos /  6 gols sofridos (CAMPEÃO)
Recopa Sulamericana -  2 jogos /  2 vitórias /  0 empates /  0 derrotas /  5 gols feitos /  3 gols sofridos (CAMPEÃO)
Camp. Brasileiro    - 38 jogos / 17 vitórias / 11 empates / 10 derrotas / 51 gols feitos / 38 gols sofridos (5º lugar)

PAULO AUTUORI (2014) - 23 jogos / 11 vitórias / 9 empates / 3 derrotas / 34 gols feitos / 17 gols sofridos
Campeonato Mineiro   - 15 jogos /  8 vitórias / 5 empates / 2 derrotas / 25 gols feitos / 10 gols sofridos (Vice-Campeão)
Copa Libertadores    -  7 jogos /  3 vitórias / 3 empates / 1 derrota  /  8 gols feitos /  6 gols sofridos (eliminado pelo Nacional-COL)
Camp. Brasileiro     -  1 jogo  /  0 vitórias / 1 empate  / 0 derrotas /  0 gols feitos /  0 gols sofridos

Comparativo por competição:

Legenda:
RM= Roger Machado, DA= Diego Aguirre, MO= Marcelo Oliveira, LC= Levir Culpi, PA= Paulo Autuori.

Campeonato Mineiro:

RM 2017: 15 jogos / 11 vitórias / 2 empates /  2 derrotas / 32 gols feitos / 11 gols sofridos (CAMPEÃO)
DA 2016: 15 jogos /  7 vitórias / 4 empates / 4 derrotas / 31 gols feitos / 16 gols sofridos (Vice-Campeão)
LC 2015: 15 jogos /  9 vitórias /  3 empates /  3 derrotas /  25 gols feitos / 10 gols sofridos (CAMPEÃO)
PA 2014: 15 jogos /  8 vitórias / 5 empates / 2 derrotas / 25 gols feitos / 10 gols sofridos (Vice-Campeão)

Primeira Liga:

RM 2017: 3 jogos /  1 vitória  / 1 empate  /  1 derrota  /  4 gols feitos /  3 gols sofridos (em andamento) Quartas
DA 2016: 3 jogos /  0 vitórias / 1 empate  / 2 derrotas /  2 gols feitos /  5 gols sofridos (eliminado fase de grupos)

Campeonato Brasileiro:


RM 2017: 15 jogos /  5 vitórias / 5 empates /  5 derrotas / 16 gols feitos / 17 gols sofridos (em andamento) 11º lugar
MO 2016: 36 jogos / 17 vitórias / 11 empates /  8 derrotas / 60 gols feitos / 48 gols sofridos (4º lugar)
LC 2015: 36 jogos / 20 vitórias /  6 empates / 10 derrotas /  67 gols feitos / 29 gols sofridos (Vice-Campeão)
LC 2014: 38 jogos / 17 vitórias / 11 empates / 10 derrotas / 51 gols feitos / 38 gols sofridos (5º lugar)
PA 2014: 1 jogo  /  0 vitórias / 1 empate  / 0 derrotas /  0 gols feitos /  0 gols sofridos


Copa do Brasil:

RM 2017: 
3 jogos /  2 vitórias / 0 empates /  1 derrota  /  5 gols feitos /  3 gols sofridos (em andamento) Quartas
MO 2016: 
7 jogos /  2 vitórias /  3 empates /  2 derrotas /  9 gols feitos / 10 gols sofridos (Vice-Campeão)
LC 2015: 
2 jogos /  0 vitórias /  1 empate  /  1 derrota  /   2 gols feitos /  3 gols sofridos (eliminado pelo Figueirense)
LC 2014: 
8 jogos /  6 vitórias /  0 empates /  2 derrotas / 14 gols feitos /  6 gols sofridos (CAMPEÃO)

Copa Libertadores:

RM 2017: 7 jogos /  4 vitórias / 1 empate  /  2 derrotas / 17 gols feitos /  7 gols sofridos (em andamento) Oitavas
DA 2016: 10 jogos /  6 vitórias / 2 empates / 2 derrotas / 16 gols feitos /  7 gols sofridos (eliminado pelo São Paulo)  
LC 2015: 8 jogos /  3 vitórias /  1 empate  /  4 derrotas /   8 gols feitos /  9 gols sofridos (eliminado pelo Internacional)
LC 2014: 1 jogo  /  0 vitórias /  1 empate  /  0 derrotas /  1 gols feito  /  1 gols sofridos (eliminado pelo Nacional-COL)
PA 2014: 7 jogos /  3 vitórias / 3 empates / 1 derrota  /  8 gols feitos /  6 gols sofridos (eliminado pelo Nacional-COL)

Comparativo geral:

RM (2017) - 43 jogos / 23 vitórias / 9 empates / 11 derrotas / 74 gols feitos / 41 gols sofridos
MO(2016)  - 43 jogos / 19 vitórias / 14 empates / 10 derrotas / 69 gols feitos / 58 gols sofridos
DA (2016) - 30 jogos / 15 vitórias / 7 empates / 8 derrotas / 52 gols feitos / 28 gols sofridos
LC (2015) - 62 jogos / 33 vitórias / 11 empates / 18 derrotas / 106 gols feitos / 68 gols sofridos
LC (2014) - 51 jogos / 28 vitórias / 12 empates / 12 derrotas / 83 gols feitos / 54 gols sofridos
PA (2014) - 23 jogos / 11 vitórias / 9 empates / 3 derrotas / 34 gols feitos / 17 gols sofridos

Tirem suas próprias conclusões !

Abraços

Luiz Henrique Lara (@luiquelara no Twitter)